oi

oi
COTIDIANO

OI

OI
GEEK

oi

oi
Viagens

Eu me chamo Antônio


Você já conhece o livro de poesia mais lindo dos últimos tempos?

Sinopse
Antônio é o personagem de um romance que está sendo escrito e vivido. Frequentador assíduo de bares, ele despeja comentários sobre a vida — suas alegrias e tristezas — em desenhos e frases escritas em guardanapos, com grandes doses de irreverência e pitadas de poesia. Antônio é perito nas artes do amor, está sempre atento aos detalhes dos encontros e desencontros do coração. Quando está apaixonado, se sente nas nuvens e nada parece ter maior importância, e, quando as coisas não saem como esperado, é capaz de enxergar nas decepções um aprendizado para seguir adiante. Do balcão do bar, onde Antônio se apoia para escrever e desenhar, ele vê tudo acontecer, observa os passantes, aceita conversas despretensiosas por aí e atrai olhares de curiosos. Caso falte alguém especial a seu lado (situação bastante comum), Antônio sempre se acomoda na companhia dos muitos chopes pela madrugada. A mente por trás de Antônio é Pedro Gabriel. Em outubro de 2012, ele inaugurou a página Eu me chamo Antônio no Facebook para compartilhar o que rabiscava com caneta hidrográfica em guardanapos nas noites em que batia ponto no Café Lamas, um dos mais tradicionais bares do Rio de Janeiro. Em seu primeiro livro, Pedro apresenta histórias vividas por seu alter ego, desde a cuidadosa aproximação da pessoa desejada, o encantamento e a paixão, até o sofrimento provocado pela ausência e a dor da perda. Os guardanapos que inspiram milhares de pessoas na internet.



Inspira, respira, suspira!

3 comentários

  1. Que lindo! que linda! amei

    ResponderExcluir
  2. Fiquei curiosa, quero ler! :)
    Esta sensacional...

    ResponderExcluir
  3. Lindo livro!
    Excelente para presentear a namorada que você gosta e ama de mais ;)

    ResponderExcluir

Todos os comentários que desrespeitarem as regras a seguir poderão ser desaprovados:
• Agressões verbais despropositadas.
• Ataques verbais ou ameaças.
• Propaganda despropositadas.
• Derivação excessiva do tema do artigo